quarta-feira, 1 de maio de 2013

Mensagem


"Vencer a si próprio é a maior das vitórias" 
Platão

Na tentativa de fazer da minha história familiar um relato verdadeiro do turbilhão de dúvidas e emoções que sentimos ao descobrir que se tem um filho com diabetes, decidi compartilhar a nossa caminhada para uma vida completamente normal com todas as mães e pais que vivenciam o diabetes em suas famílias. Não é um relato triste de sentimento, mas um relato de superação diária. O diabetes entra na nossa vida sem pedir licença. Mas ele não pode ser a nossa vida. A nossa vida quem faz somos nós, com ou sem diabetes.
O diagnóstico do diabetes traz consigo novas preocupações e sentimentos, além da necessidade de aprender novas tarefas como a aplicação da insulina, controle da glicemia capilar, alimentação adequada e muitas outras.
Mãe vitoriosa de dois meninos, dito isto, pois, depois de seis gestações consegui ter dois lindos filhos, embora que prematuros, porém saudáveis, é um milagre de Deus.

Era Dezembro de 2011, mês em que toda família fica ansiosa para rever nossos familiares, já que moramos longe de todos devido ao trabalho do meu marido. Homem maravilhoso, pai excepcional, por isso o acompanhamos em seu crescimento profissional.  Mas, em apenas um mês, tudo mudou nas nossas vidas. Tínhamos acabados de nos mudar para uma casa maior, com espaço e com conforto para toda família.
Começamos a percebemos dias antes da viagem que Jorge Luiz Filho, o mais velho, estava diferente. Primeiro engano, acreditamos ser ansiedade pela chegada das férias de final de ano. Segundo engano ser o início da adolescência, fase marcada por intensas transformações físicas, emocionais e sociais. Mas, mesmo depois que chegamos à Recife as alterações continuaram.  Alterações essas de, muitas as idas ao banheiro inclusive à noite, uma sede inacreditável, sentia muita fome e comia muito, tinha um hálito com cheiro de fruta estragada  e muito desanimo ! Seu temperamento passou a ser mais pacato e sonolento e em uma só semana emagreceu 4 kg, o que despertou atenção de todos na família, principalmente por ser um jovem com saúde de touro eu nunca imaginei passar por uma situação tão desesperadora.
O levamos ao médico e na consulta ao relatar ao pediatra dele o que estava acontecendo só no seu olhar pude imaginar que algo estava errado. Meu coração acelerou, minha cabeça entrou em parafuso. Percebo sua voz calma me dizendo: “acredito que seja diabetes”. Ele me chama a atenção e diz: “ vamos realizar alguns exames urgente e entender o que está acontecendo”.  Naquele momento rezei e pedi a Nossa Senhora Aparecida para que fosse o melhor para o meu filho. Sai do consultório com as pernas tremendo e o corpo gelado procurando manter a calma, mas o meu estresse era altíssimo. No dia seguinte conseguimos fazer os exame e receber o resultado com algumas horas depois. A diabetes se confirmou e fomos empurrados para uma nova vida em apenas uma semana. 
Foi um grande choque para toda família, inclusive para o meu filho. Porque aconteceu com meu filho? Onde eu errei? De quem é a culpa? Tem cura? Por que não foi comigo? Será que ele vai sobreviver? Como será a vida dele daqui a 20 30 anos? Será que o diabetes irá afetar os estudos e a profissão? Será que vai casar e ter filhos? Por que Deus? Perguntas que tentamos agora responder através deste blogger, na tentativa de simplificar o processo de adaptação, de levar o conhecimento e antecipar respostas que você pai e mãe, certamente se farão. Nunca imaginei de passar por uma situação dessas tão pouco conhecia sobre o Diabetes.
Passamos por uma endocrinologista indicada pelo pediatra e ao sermos atendidas por ela o medo tomou conta de mim, sim foi este o sentimento que me veio ao ser informada de maneira abrupta sobre as regras rígidas que toda a família iria ter dali em diante. Na verdade era como uma sentença de morte. Saímos do consultório arrasados, despedaçados, revoltados e chorando muito, muito mesmo. Deixamos nosso filho na casa de mamãe em seguida fomos até uma farmácia para comprar: insulina, agulhas, canetas aplicadoras, monitor de glicemia e lancetador, lancetas estéreis, tiras reactivas, enfim tudo que daquele dia em diante ia fazer parte do nosso cotidiano. 
O que eu quero falar hoje, com este relato, muito pessoal e particular, é que o diabetes não torna ninguém especial, melhor, pior, anormal, ou um super herói. O diabetes precisa ser mantido controlado. E mesmo que algumas vezes pareça difícil... Confie em si mesmo! Corra atrás dos seus sonhos... Afinal, qual seria o significado da vida sem sonhos a serem alcançados?!